Os recursos de comunicação estão cada dia mais avançados. Hoje em dia, nos comunicamos por intermédio de muitos apps que nos propiciam este contato mais aproximado, seja com nossos familiares, amigos ou no espaço de trabalho. Contudo, faz-se necessário precavermos acerca dos celulares. Você tinha noção que um celular hackeado pode ocasionar inúmeros empecilhos à sua vida, não?

Neste texto iremos mostrar determinados cuidados que são precisos a fim de que você não sofra desse inconveniente. Pois, caso seu celular seja hackeado, corre o perigo de você ter suas chaves eletrônicas reveladas, conversas “vazadas”, extravios de arquivos relevantes, entre outros.

Não perca mais tempo e veja agora mesmo o que fazer com a finalidade de evitar este empecilho, bem como constatar se seu celular já se encontra clonado. Vamos nessa?

5 sinais que sugerem que você conta com um celular hackeado

Problemas de carga

Antes da fama do iOS e do Android, problemas de carga eram um sinal infalível de um celular hackeado . E baterias muito quentes permanecem sendo uma preocupação quando se trata de iPhones.

Se você está aproveitando ao máximo o seu telefone celular, utilizando inúmeros softwares, então possivelmente está familiarizado com uma bateria superaquecida. Você é capaz de ainda mesmo ter levado o celular na loja e questionado acerca disto, só para se certificar de que isto é normal em Celulares.

No entanto, ainda é capaz de ser um indício de que algum software está atuando em segundo plano, possibilitando que algum indivíduo o espie. Entenda que antigos dispositivos não possuem uma energia excelente, então elimine qualquer possibilidade a fim de compreender o que está causando isso.

Aumento do uso de dados

Você deve prestar muita atenção nos seus boletos de telefone. Com isso, você é capaz de poupar bastante grana, já que você poderá ver se alguma pessoa está realizando ligações sem você ter noção. Tal como um jeito de detectar spywares ou malwares.

Entendemos que vários softwares usam muitos dados, mas é muito simples reduzir o uso de dados do seu celular. Isso vai auxiliar particularmente quando estiver conectando-se a uma rede de WiFi. Mas, softwares mal intencionados usam o seu pacote de dados a fim de enviar descrições em relação a você para uma fonte externa.

A não ser que você baixou recentemente um software o qual exige bastante bateria e dados, entenderá quantos dados você utiliza por mês. Se isso ampliar drasticamente, precisa ver por qual razão está acontecendo. Se não consegue encontrar o porquê, talvez um 3º esteja interceptando suas mensagens .

Apps e propagandas indesejadas

Estamos tão habituados com a interface do nosso telefone que é simples não se lembrar que você baixou um software. Pode ficar lá impercebido por uns bons meses ou até você redescobri-lo. Contudo, é essencial compreender justamente o que está no seu telefone, especialmente aqueles softwares os quais são executados em segundo plano.

Um destes é o Hummer, um Malware o qual contaminou dispositivos Android internacionalmente no momento em que despontou no ano de 2014. Com elevadas concentrações de celulares hackeados em países como Índia e Filipinas, transformou-se o vírus de Android mais habitual em todo o mundo.

Com uma média diária de 1,2 milhões de equipamentos atingidos, o Hummer pode gerar um tráfego imenso de anúncios, por essa razão, ao notar um aumento no uso de dados, procure ajuda de especialistas, já que esse vírus também está sendo espalhado mundo afora.

Problemas de desempenho

O Hummingbad, um cavalo de Troia similar ao Hummer, já atingiu cerca de 10 milhões de vítimas. Tal como acontece com o Hummer, ele encontra seu caminho num equipamento na ocasião em que o utilizador baixa acidentalmente um app que encontra-se fingindo ser outra coisa – uma variante falsa do YouTube ou WhatsApp, por exemplo.

Criminosos virtuais estão gerando 300.000 dólares a cada mês, executando tais aplicativos e gerando anúncios pop-up. O vírus também é capaz de ter acesso aos seus dados e, assim, transmite descrições para um servidor controlado pelo Yingmob, um conjunto de hackers chineses. Isso quer dizer que eles podem interceptar a maior parte das suas mensagens.

Todos estes dados que estão sendo transmitidos e obtidos reduzem significativamente o funcionamento do seu telefone celular. E isto não se aplica apenas ao Hummingbad – você observaria problemas de comportamento dessa natureza com qualquer outro aplicativo malicioso.

Mensagens incomuns

O que pode aparentar apenas um inconveniente, spam ou uma numeração errada pode, realmente, ser um sinal de que algo está errado com seu Smartphone.

Mensagens de SMS estranhas contêm uma série aleatória de números, caracteres e símbolos, o que pode aparentar, à primeira vista, só esquisito, contudo não necessariamente maléfico.

O motivo mais provável disto é uma falha no spyware usado pelos bandidos cibernéticos. Se ele não é instalado corretamente, essa mensagem surge em sua caixa de entrada, na ocasião em que era para ser ocultada.

Da mesma forma, caso seus amigos ou familiares informem que você está lhes enviando textos estranhos ou e-mails, isso é um indício de que você se encontra com o celular hackeado.

Celular Hackeado: Entenda o que Fazer

celular-hackeado Você sabia que você pode ter o celular hackeado e que as probabilidades de isso ocorrer são bem maiores do que você pensa? Conforme a Nokia, a quantidade de aparelhos infectados por vírus e malwares não para de aumentar, tendo chegado aos índices mais elevados possíveis no ano passado.

A grande parte dos equipamentos comprometidos é Android, entretanto donos de iPhones ainda não estão salvos. O mais desagradável é que várias vezes o usuário nem ao menos sabe que possui um celular hackeado. Dessa maneira, diagnosticar que o seu equipamento foi hackeado é tão essencial quanto conhecer como se resguardar.

Nesse artigo, abordamos uma série de dicas práticas para que você possa entender como esse empecilho é capaz de se tornar uma ameaça significativa, comprometendo as suas informações pessoais e podendo representar inclusive a perda completa do seu celular.

Redução da capacidade da Bateria

bateria-fraca Um dos primeiros traços que um celular hackeado mostra é o de uma duração de carga bastante reduzida. Isso acontece porque, diante disso, é capaz de existir um ou mais softwares rodando em segundo plano, utilizando toda a energia do seu dispositivo. Quanto mais softwares maléficos houverem, maior vai ser o consumo.

Se, na realidade, tiver um celular hackeado, tente desativar o uso de dados em segundo plano, desinstalando aplicativos apenas para análise. Por fim, realize um backup e restaure as opções de fábrica caso o problema persista.

Dados desaparecendo instantaneamente

Da mesma maneira que aplicativos maliciosos sugam a energia da bateria do telefone celular em segundo plano, há Malwares e vírus que utilizam o seu plano de dados para de ter acesso a determinados conteúdos ou disseminar informações dos mais variados tipos na rede.

A fim de conseguir esta conexão, usufruem-se não apenas na ocasião em que você está logado no WiFi, mas de outras conexões 3G e 4G. Desta forma, a principal maneira de saber como está o seu gasto de dados é fazendo download do aplicativo oficial da operadora. Se o consumo estiver bastante alto da noite para o dia, desconfie.

Outra forma eficaz de aliviar o inconveniente é desativar a utilização da rede de dados quando você não estiver empregando. Entretanto, caso isso não resolva o problema, novamente, a melhor alternativa é restaurar as especificações de fábrica.

Apresentação de propagandas

Inúmeros aplicativos que você baixa na Play Store contêm propagandas. É a demonstração delas que faz com que o desenvolvedor seja remunerado, principalmente em apps gratuitos. Porém, certas pessoas mal-intencionadas irão além e introduzem spywares no seu dispositivo a fim de que propagandas aleatórias sejam exibidas em vários locais.

Além delas deixarem o seu telefone celular mais vagaroso, dado que é necessário carregar mais itens antes de efetivar uma certa tarefa, as propagandas indesejadas consomem inclusive o seu plano de dados. Enquanto isto, a pessoa mal-intencionada, que conseguiu colocá-las dentro do seu celular, ganha alguma renda na ocasião em que uma propaganda surge.

Uma boa dica para sumir com esse problema terminantemente é fazer download de um software antispyware e executá-lo. A maioria dos softwares disponíveis atualmente são capazes de perceber as grandes ameaças, tirando-as diretamente ou especificando para você em qual local elas estão.

Envio e recebimento de SMS suspeito

Caso os seus amigos estejam reclamando que você está emitindo mensagens de texto estranhas para eles ou caso você esteja recebendo informações confusas por meio de mensagens, esse é um grande indício de alerta. Isto quer dizer que você está com um celular hackeado.

Além disto, há programas criados para explorar esta vulnerabilidade nos dispositivos, acessando a sua lista de contatos e emitindo links que apontam para páginas maliciosas. Apps antispyware costumam dar conta do recado e identificar a origem da fragilidade, contudo é indispensável que ele esteja instalado e executando também.

Adquira aplicativos seguros

No momento em que um app é inserido na loja oficial, antes de tudo ele passa por uma inspeção por parte da Google ou da Apple. Isto reduz significativamente as possibilidades de que ele esteja infectado com itens maliciosos. No entanto, na ocasião em que você instala softwares não confiáveis, você está oferecendo oportunidades para ter um celular hackeado.

Um celular hackeado pode gerar tantas dores de cabeça quanto um celular roubado. A diferença é que no caso de roubo tem como se resguardar se você tem um seguro para smartphone. Você pode até passar por uma situação chata, no entanto no fim consegue recuperar o dinheiro investido.

Já no caso de um celular hackeado, suas perdas são capazes de se tornar não reversíveis. Descrições financeiras roubadas, dados de celular usados e que não serão repostos, além da provável perda de arquivos relevantes.

Por causa disso, a orientação principal é que, além de possuir sempre instalado e operante um programa antivírus, antimalware e antispyware, o aconselhado é que você possua também um hábito seguro. Precaver é a saída!

Proteja seu telefone celular – Descubra como

Existem vários perigos para a segurança dos seus aparelhos. É por causa disso que você precisa tomar medidas rápidas para travar o seu smartphone ou tablet. Vamos ver as configurações que você necessita mudar e os softwares que você necessita instalar no seu equipamento Android, Apple ou Windows a fim de manter hackers afastados.

Estabeleça um código PIN ou senha

Você necessita usar a tela de bloqueio que demanda uma senha para continuar, com uma ótima senha. Esse código deve ser algo que não seja fácil de decifrar. Algo como 1-2-3-4 ou 0-0-0-0 não vai dar certo.

Aparelhos da Apple fazem você determinar uma senha para a tela de bloqueio da primeira vez que você usá-los. Entretanto, caso você tenha criado a senha há certo tempo, talvez seja o momento de mudá-la. Vá em Configurações; Código de acesso, e edite o seu código de acesso.

Para Android, vá para Configuraçõest; Tela de bloqueio para produzir um critério em desenho, PIN ou senha. Você pode testar todos os três e ver qual deles fornece o melhor equilíbrio entre proteção e conveniência. Alguns aparelhos Android integram o reconhecimento da face e desbloqueio por voz, no entanto não são tão protegidos.

Para telefones com Windows, se encaminhe para a tela “Iniciar” e clique em Configurações; Tela de bloqueio para configurar o código de acesso. Na configuração da tela de bloqueio, para qualquer equipamento, assegure-se de definir o seu dispositivo para bloquear automaticamente após alguns minutos de inatividade.

Confira a procedência dos programas

Quando você comprova a origem de um app, você não contribui para obter um celular hackeado. Você é capaz de reduzir o perigo ao instalar software a partir das grandes lojas de softwares: Google Play, Amazon Appstore, a Apple iTunes e Windows Store da Microsoft. Apps de aparelhos da Apple e aparelhos com Windows são mais seguros. Já o Android, requer alguns cuidados.

Com o objetivo de se certificar de que você não instale apps Android suspeitos, vá para Configurações; Segurança e desfaça a opção “Fontes desconhecidas”. Só pois um aplicativo está em uma loja oficial não estabelece que é completamente seguro. Você inclusive é capaz de checar opiniões e visitar o site oficial do aplicativo.

Mesmo apps permitidos conseguem pegar informações do seu telefone celular que você pode não querer dividir. É por essa razão que você precisa dar uma olhada nas autorizações do software antes de instalá-lo. É importante saber quais descrições de seu aparelho o software conta com acesso. Quanto menos informações, melhor no quesito segurança.

Ative a localização remota

Se o seu aparelho for extraviado ou roubado, os apps de rastreamento podem dizer precisamente em qual lugar o celular está. Estes softwares também possibilitam que você limpe informações sensíveis remotamente. Se o seu telefone celular cair em mãos erradas, você pode atestar-se que outra pessoa não acesse suas descrições.

Utilizadores do iOS têm o Find My iPhone. Para ativá-lo, se dirija para Configurações; iCloud, ligando a opção “Find My iPhone”.

Os utilizadores de Android têm o gerenciador de aparelhos Android. A fim de habilitar o rastreamento, abra o software, conecte-o a uma conta do Google e siga as instruções. Para telefones com Windows, há o recurso “Find My Phone”. Para ajustá-lo, se encaminhe para Configurações; Find My Phone, ligando a opção.

Dados do telefone celular – Aprenda como protegê-los

Um dos maiores problemas ao perder um celular é deixar que outra pessoa possua acesso a todas as suas descrições que podem ser acessadas pelo Celular. Muitas vezes, os usuários deixam acessíveis todos os aplicativos sem que a outra pessoa que esteja em poder do celular tenha complicações em acessá-las.

É importante tomar alguns cuidados na ocasião de pôr descrições no seu celular, até porque, você nunca sabe em que ocasião vai poder perdê-lo ou acabar sendo roubado por aí. Abaixo, reunimos 5 dicas que vão deixar a incumbência de qualquer pessoa desonesta mais complexa no momento de acessar as informações de seu telefone e que vão assegurar a incorruptibilidade e a privacidade dos seus dados.

Bloqueie a tela do seu telefone celular

Este é um dos meios mais populares para intimidar terceiros a usarem seu celular. O bloqueio da tela inicial do celular é um obstáculo que qualquer um vai precisar desafiar sem antes ter tido permissão a qualquer dado contido no dispositivo. O recurso é simples de configurar, onde o usuário optará por uma senha deslizante, numérica ou um código PIN.

O iPhone 5S conta com um recurso ainda mais moderno. A Apple introduziu o scanner de digitais o qual possibilita que só o dono do equipamento consiga desbloqueá-lo com a sua digital. Do contrário, não adianta nem ao menos o ladrão ou outra pessoa desonesta tentar desvendar a combinação da tela de bloqueio.

A desvantagem desse mecanismo é que se torna desconfortável ter que desbloqueá-lo todas as vezes que for necessário usar o aparelho. A sugestão a fim de reduzir isso é recordar-se de ativar a tela de bloqueio só quando você sair de casa.

Utilize recursos remotos

Recursos remotos ainda são desconhecidos por grande parcela dos usuários. Entretanto, eles são bem úteis na hora de achar um Celular perdido. Para quem possui iPhone, a Apple colocou em seu aparelho, desde a versão três. 0 do iOS, o recurso “Buscar Meu iPhone”.

Por intermédio dele é possível que o proprietário saiba em que lugar o seu aparelho está caso o tenha perdido, esquecido em algum lugar ou tenha sido roubado e quer saber exatamente onde encontrá-lo. O interessante é que o software da Apple vai além de mostrar ao usuário onde o seu dispositivo está.

Você pode escolher travar imediatamente o seu equipamento e emitir uma mensagem com um celular para contato a fim de que a pessoa que acha-se em domínio do seu iPhone possa realizar o contato com você com o objetivo de devolvê-lo. Existe também a função “Apagar iPhone”, que deleta todos os dados do dispositivo.

Para você efetuar a ativação, você só precisa conectar-se a página do iCloud e ir no menu “Configurações”. O recurso é ofertado para todos os aparelhos da Apple, desde iPods e iPads, a Macs.

Caso deseje um sistema igual da Apple compreenda que esses têm estrutura para consultas através de sua conta pessoal Google. Esse serviço denominado de Gerenciador de Dispositivo Android consegue exibir a localização de seu dispositivo dentro de um mapa, além de deletar os dados existentes no Smartphone e possibilitar o bloqueio do aparelho remotamente.

Para isso, basta acessar o aplicativo Configurações do Google e dirigir-se para a alternativa Gerenciador de Dispositivo Android para ativar as opções. Se você tem o hábito de desativar o serviço de GPS a fim de economizar bateria, você não irá poder saber onde seu Smartphone está.

Faça backup de seus dados

Este também é um dos meios bastante usados por vários utilizadores. Efetuar backup de seus arquivos é uma excelente ferramenta. Não somente garantindo a segurança das descrições, como para livrar-se de problemas caso você seja furtado ou não o encontre.

O Google oferece em seus dispositivos Android a segurança de todos os dados contidos nos apps. Assim como senhas de rede Wireless, propensões do telefone celular e outras descrições. Para ativar esta segurança, basta ir até a seção Backup e Restauração em Configurações.

Desse jeito, tudo ficará salvo na nuvem se você precisar restaurá-los futuramente. Semelhantemente, a Apple fornece alternativas de backup para seus utilizadores. Na seção Armazenamento e Backup, nas configurações da página do iCloud.

Fotos, músicas e vídeos são arquivos que jamais devem ser ignorados e carecem ser protegidos contra pessoas de má-dé. Devido a isso, o melhor é realizar o backup de todos esses arquivos de mídia em aplicativos como o iCloud, Dropbox, OneDrive e Flickr.

Criptografe seus dados

Todas as dicas que dizemos já reiteram uma excelente proteção de seus dados em seu Smartphone ou outros aparelhos. Entretanto nenhuma delas será tão eficaz e defenderá seu aparelho da audácia de outras pessoas quanto a criptografia de dados.

Criptografar dados garante um nível maior de segurança, inibindo ainda mesmo hackers de terem ingresso às suas informações. Se você tiver arquivos de enorme valor em seu equipamento é aconselhável utilizar essa sugestão a partir de agora. Com isto, você vai estar, inclusive, se protegendo de não possuir um celular hackeado.

Isso é capaz de ser efetuado na ocasião em que você ajusta um código para o aparelho nos dispositivos iOS. Para efetuar este procedimento é necessário ir até Ajustes; Touch ID e Código (no iPhone 5S) ou Ajustes; Código (outros modelos) e clicar em “Ativar Código”.

No BlackBerry existe um recurso disponível similar com o da Apple. Diante disso, basta ir até a repartição Configurações, depois Segurança e a seguir Encriptação. Equipamentos com Windows Phone também oferecem essa ferramenta.

O Windows Phone 8 de modo automático executa a encriptação dos dados que estão contidos no cartão de memória. Mediante o Encryption, este evita que os dados contidos no dispositivo consigam ser lidos sem a sua permissão.

Entre as desvantagens da encriptação dos dados está o caso de que certas ações do seu celular são capazes de ficar mais lentas, dado que todas as descrições necessitam de ser decodificadas anterior ao acesso.

Configure seus softwares

Os próprios softwares têm algumas maneiras de preservar-se de que alguém possa colocar conteúdos ou possuir acesso a descrições sem sua autorização. O Facebook, um dos softwares mais utilizados nos Smartphones, disponibiliza a opção “Onde Você está Conectado”, que pode ser acessado na seção Segurança dentro da página Configurações.

Por intermédio desse recurso é possível que você visualize quem está conectado em sua conta e, caso deseje, desconectá-las.

Os emails ainda são capazes de ficar salvos caso você use o Gmail, por exemplo. Localizado no canto inferior direito da caixa de entrada, o link “Detalhes” ainda permite ver quem esteve conectado em seu perfil e realizar o cancelamento de qualquer atividade questionável.

Muitos outros apps também possuem esse mesmo padrão de função, o qual pode auxiliar você a constatar quem está entrando em seus perfis e apps impropriamente.

Com a utilização dessas sugestões, fica bastante fácil conseguir achar seu aparelho ou proteger os dados inclusos nele. É fundamental que, se você tiver perdido seu telefone celular ou tenha sido roubado, acesse de imediato suas contas a fim de que possa desempenhar o bloqueio de seu dispositivo e da visualização de suas descrições o mais rápido que puder.

O planeta hoje acha-se mais conectado, basta ter um Smartphone nas mãos para ter alcance a entretenimento sem fim e a informações praticamente sem limites. Mas, a questão é: Será que a constante assiduidade dos celulares nas nossas vidas é tão benéfica quanto aparenta? Inúmeros estudos mostram que o uso demasiado de Smartphones afeta não unicamente nossa saúde e relações sociais, nossa capacidade intelectiva e capacidade de concentração também estão sendo afetadas.

A presença do Smartphone remove o foco das pessoas

pessoas-viciadas-em-smartphone O educador substituto de McCombs, Adrian Ward e co-autores, fizeram experimentos com quase 800 utilizadores de celulares com o intuito de aferir, quão bem as pessoas podem finalizar os afazeres quando encontram-se com seu Smartphone nas proximidades, mesmo sem utilizá-lo. Em um experimento, os cientistas pediram para os integrantes do exame que se assentassem em um microcomputador e fizessem uma sucessão de experiências que exigiam concentração total para assinalar satisfatoriamente os resultados. Os ensaios foram voltados para aferir a capacidade intelectiva disponível dos integrantes – isto é, a capacidade do cérebro de conservar e processar dados em qualquer período.

Antes de iniciar, os integrantes foram instruídos por acaso para colocar seus celulares na banca com a frente voltada para baixo, no bojo ou no case individual, e também em outro aposento. Todos os participantes foram instruídos à botarem seus telefones no padrão silencioso. Os cientistas constataram que os integrantes com os celulares postos em outra sala superaram muito aqueles com seus celulares na mesa, e eles, ainda, superaram relativamente os participantes que conservaram seus telefones em um case pessoal ou mochila.

Os resultados indicam que a simples presença de um Smartphone reduz a capacidade intelectiva disponível e afeta o desempenho cognitivo, ainda que as pessoas sintam que acham-se dando toda atenção e foco na tarefa em foco.

” A gente vê uma tendência linear a qual sugere que, ao passo que o Smartphone torna-se mais visível, a capacidade intelectiva disponível dos integrantes diminui “, disse Ward. “Sua mente consciente não encontra-se pensando em seu Smartphone, entretanto este método – o método de requerer que você não pense em algo – usa alguns de seus recursos mentais limitados. É um escape de capacidade [cognitiva]”.

Em outro experimento, os especialistas analisaram como o vício de um telefone influencia a capacidade intelectiva de uma pessoa – ou por qual razão uma pessoa sente que precisa possuir um Smartphone a fim de superar uma capacidade intelectiva natural do dia-a-dia. Os integrantes realizaram a mesma sequência de testes com base em computador que o primeiro grupo, e foram por acaso designados para preservar seus Smartphones próximos na mesa da parte frontal, para baixo, no case particular ou bolsa ou em outro cômodo. Nesta experiência, certos integrantes também foram orientados a desligarem seus telefones.

Os pesquisadores verificaram que os integrantes que eram os mais dependentes dos seus Smartphones apresentaram um aproveitamento menor comparando-se com os colegas menos necessitados, mas somente na ocasião em que eles conservaram seus Smartphones na mesa, no case pessoal ou bolsa. Ward e seus colegas também constataram que não interessa se o celular de uma pessoa estava ligado ou desativado, ou se encontrava-se deitado de frente para cima ou de frente para baixo em uma banca. Ter um celular à mostra ou de simples acesso diminui a capacidade de um indivíduo se concentrar e efetuar tarefas, porque parte do seu cérebro encontra-se trabalhando ativamente a fim de não pegar ou utilizar o telefone.

“Não é que os integrantes encontravam-se distraídos porque obtinham notificações em seus celulares “, informou Ward. “A simples presença de seu Smartphone foi suficiente para reduzir sua capacidade cognitiva “.

O telefone afeta as relações em sociedade

celular-atrapalha-relacionamentos Os smartphones são capazes de afetar as interações pessoais só por sua participação, mesmo na ocasião em que não encontram-se em uso, segundo novas pesquisas. 2 estudos evidenciaram que, se um celular é perceptível durante uma conversa, faz com que as pessoas se sintam menos positivas com o indivíduo com quem conversam. As descobertas indicam que interagir com seu telefone ou meramente deixá-lo em vista durante um jantar romântico ou uma reunião com um amigo pode ser um sério erro social.

Psicólogos que dirigiram os testes na Universidade de Essex consideram que os Smartphones desencadeiam mecanicamente pensamentos sobre redes sociais mais amplas, diminuindo o coeficiente de sintonia e assimilação nos diálogos presenciais. ” Em ambos os estudos, achamos provas de que o Smartphone pode ter efeitos negativos nas proximidades, conexão e qualidade da comunicação. A presença de um aparelho telefônico é capaz de seduzir os indivíduos a pensar em outras pessoas e eventos fora do seu âmbito social imediato. Ao realizá-lo, eles deslocam a atenção de uma experiência interpessoal que ocorre no momento com o objetivo de se centralizar em uma variedade de outras preocupações e interesses”, indicou o pesquisador chefe, Andrew Przybylski.

No primeiro teste, uma equipe de psicólogos pediu a 37 pares de pessoas desconhecidas que passassem 10 minutos dialogando uns com os outros com respeito a um evento significativo que aconteceu em suas vidas no último mês. Os participantes sentaram-se em cadeiras em uma cabine reservada e um celular foi posto em uma mesa perto da metade deles. Para a outra metade, um caderno foi colocado no mesmo lugar ao invés de um Smartphone. Depois do final de suas conversas, todos os integrantes responderam questões sobre a pessoa que conheciam, que foram classificadas usando modelos de avaliação psicológica padrão. Os estudiosos perceberam que as pessoas que dialogavam com um celular perceptível nas proximidades eram substancialmente menos efetivas do que os outros integrantes com respeito a pessoa que acabavam de conhecer. Eles eram menos predispostos a consentir com opiniões como ” é provável que meu companheiro e eu possamos nos tornar amigos se interagirmos muito”.

Em um segundo estudo incluindo 34 diferentes pares de pessoas desconhecidas, alguns foram convidados a conversar a respeito de um tópico qualquer, ao passo que outros tiveram que falar acerca dos ” acontecimentos mais significativos do último ano “. Semelhante ao primeiro estudo, a metade dos pares dialogou com um celular posto em uma banca próxima e metade com um caderno na mesma posição. Ter uma conversa “significativa” em vez de uma conversa com relação a tópicos triviais elevou os sentimentos de proximidade e segurança em seu parceiro para os integrantes que enxergaram um caderno no decorrer de seu bate-papo. Porém o similar efeito não ocorreu para aqueles que possuíam um telefone móvel localizado nas proximidades.

“Esses resultados revelam que a presença de telefones celulares pode interferir nas relações humanas, um efeito que é mais claro no momento em que pessoas estão falando a respeito de tópicos pessoalmente significativos”, asseguraram os pesquisadores.

Os apontamentos foram os primeiros gerados para observar especificadamente os efeitos de um Smartphone existente na comunicação cara a cara. Os especialistas elucidaram que uma pesquisa adicional poderia avaliar se a presença de um telefone celular de fato gera mudanças excepcionais no hábito das pessoas ou apenas suas concepções da experiência.

Luzes do Smartphone provoca danos irreversíveis à visão

smartphone-prejudica-os-olhos Nos dias atuais, é praticamente improvável passar o dia sem dar uma olhada na tela da televisão, do computador ou do celular. Um apontamento realizado pela Millward Brown Brasil e NetQuest no ano de 2016 mostrou que o brasileiro gasta mais de três horas por dia de frente para o telefone. Entre os jovens, a média é bem maior: quatro horas. E o uso em excesso desses aparelhos tem elevado a incidência de problemas de visão. A luz azul violeta emitida por televisões, celulares, computadores, tablets e inclusive por lâmpadas de LED podem causar prejuízos irreversíveis, segundo a diretora da Sociedade de Oftalmologia Pediátrica da América Latina, Marcia Beatriz Tartarella. “O efeito da radiação por fototoxicidade vai acumulando-se nas células da retina, e isto motiva a degradação da mácula, área nobre das vistas”, diz.

Os primeiros sinais de complicações relacionados a este tipo de iluminação não se manifestam imediatamente. Consoante a profissional, é improvável perceber anomalias a curto prazo, mas qualquer indício de fadiga visual, sensação de olhos com pouca umidade, irritação ocular e até coceira, deve ser examinado por um especialista.

Vice-presidente do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, José Augusto Alves Ottaiano explica que piscamos menos no momento em que estamos em proximidade com a tela de computadores ou telefones celulares, além de exercermos maior pressão a fim de que a visão esteja focada. “Nós piscamos por cerca de 15 vezes por minuto. Esse é o número necessário para uma excelente lubrificação lacrimal. Entretanto, em casos de tensão, que exigem um foco bastante grande da nossa visão, esta porção pode se reduzir a 4, cinco vezes por minuto. Isso gera uma sobrecarga ocular”, afirma o especialista.

O expert ainda oferece determinadas orientações para diminuir o choque da luz:

  • Para quem trabalha em escritório, por exemplo, o adequado é que o microcomputador esteja constantemente na mesma linha do olhar. Se estiver acima, a musculatura ocular demora mais tempo para renovar a superfície lacrimal, deixando o olho desidratado.
  • Não se deve ampliar a conservação em frente à tela. Pausas a cada duas horas auxiliam a evitar maiores contrariedades.
  • Ar condicionado similarmente desidrata os olhos e expande os problemas causados pela iluminação, principalmente em ambientes de tamanho menor como dentro do automóvel.
  • É essencial recordar de ajustar as configurações de cada tela para que o brilho se ajuste conforme a iluminação do lugar. Locais escuros não carecem de um alto brilho no display do smartphone.

A falta de cuidado a longo prazo nesses casos pode proporcionar doenças oculares como a catarata e presbiopia, além de distúrbios nas áreas da córnea, retina, mácula e cristalino, conduzindo à perda de visão gradativa. A luz azul acha-se também presente em locais externos e, por causa disso, a utilização de óculos escuros com proteção para raios ultravioleta é sugerido.

“Há radiação da luz azul violeta pelo sol em pequena quantidade, mas isto tem aumentado em razão da perda da camada de ozônio, que protege a poluição ambiental”, afirma Tartarella.

Outra hipotese é o uso de lentes fotossensíveis, que ajustam-se de acordo com a luminosidade do ambiente e dos equipamentos com tela. “O mercado atualmente já possui tratamentos específicos que dão comodidade e segurança em qualquer ambiente ”, acrescenta a oftalmologista.

Uso acentuado do celular ocasiona problemas na coluna

smartphone-prejudica-a-coluna Cada vez mais presente no quotidiano das pessoas, os Smartphones ou tablets são equipamentos que as complementam, tanto no trabalho, quanto no lazer. As leituras constantes feitas nesses aparelhos faz com que o leitor adquira uma postura automática que, conforme seu prazo de duração e a resistência da inclinação, tem probabilidade de ocasionar certos problemas. A text neck, como é denominada essa postura da inclinação da cabeça e coluna para a leitura nesses dispositivos, pode chegar a ser uma preocupação internacional da era da tecnologia, segundo estudiosos, por afetar uma expressiva e crescente parcela da população.

“A utilização do celular faz com que a pessoa tenda a inclinar a cabeça e o pescoço para frente. Esta inclinação conservada por inúmeras horas ao longo do dia e por bastante tempo tem chance de ocasionar uma sucessão de desconfortos. Dor no pescoço, dores de cabeça e dor nas costas são os principais”, comenta o ortopedista Jefferson Leal, professor do Departamento do Aparelho Locomotor da Faculdade de Medicina da UFMG.

Segundo Leal, a inclinação da cabeça para frente é inato, fisiológica e inofensiva nas situações do dia-a-dia que não requer mais que alguns segundos na posição. No entanto, para cada grau de inclinação da cabeça para frente na posição de pé, a pressão no interior dos discos da coluna do pescoço aumenta. “Com 15ºC de inclinação para frente, a pressão no interior do disco praticamente triplica. Com sessenta graus, a pressão aumenta seis vezes”, elucida. “Agora, olhe ao seu redor e veja quantas pessoas utilizando o celular em pé e com o pescoço inclinado para frente. Considere essa pressão em cima do pescoço por inúmeras horas e por muitos anos. Determinados estudos sugerem que essa postura ruim é capaz de ser a causa do envelhecimento precoce do disco intervertebral”, acrescenta.

Além dos problemas como dores de cabeça e na coluna, este tipo de posição pode inclusive causar deterioração precoce do disco intervertebral. “A postura ruim inclusive pode reduzir a capacidade pulmonar e mais esporadicamente estar ligados à depressão, enfermidades cardiovasculares e oftalmológicas”, diz o ortopedista.

Como modo de prevenção ou atenuação nesses problemas, Jefferson Leal aconselha movimentar a cabeça e pescoço diversas vezes ao dia e fortificar a musculatura do pescoço forçando a cabeça contra sua resistência utilizando as próprias mãos, tanto para frente como para trás. Ainda por cima, ficar de pé junto a uma parede com os braços estendidos e empurrar o peito para frente para endurecer “ os músculos da ótima postura ”. Ele ainda aconselha olhar para o telefone mais com os olhos do que com cabeça.

De acordo com o professor, no momento em que os indícios tornam-se insistentes e não diminuem com a diminuição do uso do celular ou da adoção destas condutas corretas é capaz de significar gravidade, sendo recomendado procurar um especialista.

Saiba sobre o iPhone!

Você é ou já foi proprietário de um iPhone ? Se sim, sabe muito bem que possuir um iPhone é uma experiência exclusiva. Difícil mesmo é poder acompanhar os desenvolvimentos tecnológicos que a Apple vem mostrando ao mercado. O iPhone atingiu à sua décima geração com preços salgados e tecnologia nunca antes vista. Entretanto, se você é um fanático por este smartphone e não possui condições ter o modelo mais completo, não esquente. Esse guia mostra para você informações acerca das diversas gerações de iPhones. Com ele, você vai examinar que possuir um aparelho relativamente mais antigo (e acessível) inclusive pode ser um bom negócio. Mas, se você nunca comprou um iPhone… prepare-se para o que descobrirá!
O iPhone divide argumentos acerca do fato de ser – ou não – o melhor smartphone do mundo. O título de “mais famoso”, porém, não tem jeito de negar que pertence a ele. Apresentado por Steve Jobs no ano de 2007 e lapidado todo ano, ele já acha-se em sua 10ª versão (X) e aparenta até agora produzir o mesmo êxtase do primeiro modelo em seus usuários. Qual é o motivo de tanto marketing sobre esse pequeno dispositivo e por quais razões ele modificou o siginificado da telefonia móvel? Por fim, o que é esse aparelho sobre o qual todo mundo comenta?
O siginificado de smartphone (telefone inteligente) foi seguido ao pé da letra na produção do iPhone, desde o seu inicial protótipo. O dispositivo da Apple é um telefone, sim, entretanto bem mais do que isto. Ele pode adentrar na Internet, tirar fotos, emitir e-mails, mensagens de texto e imagem, reproduzir música e vídeo, permitir o download de aplicativos, e atua como leitor de livros… É um autêntico ícone da centralização digital.
O primeiro detalhe que foi analisado na ocasião em que um indivíduo olhava pela primeira vez para o iPhone é: “onde estavam os botões”? Essa experiência sempre foi integralmente sensitiva. Com uma tela touch screen, ele sempre funcionou sem a essencialidade de se pressionar (quase) nada. Existe meramente um particular botão em determinados modelos, que funciona como uma espécie de tecla “regressar à tela inicial”, e mais nada. Também não é necessário nenhuma canetinha específica para selecionar qual aplicativo que você quer usar: basta tocar com o dedo mesmo.
A todo o momento foi admissível utilizar, ainda mesmo, mais de um dedo devido à tecnologia denominada multitouch, o que ofertava também alguns recursos muito úteis ao iPhone, como a “técnica de pinça”. Usando o polegar e o indicador, “estenda ou puxe” a tela para aumentar ou diminuir o tamanho de um texto ou imagem na tela. Para escrever, não existia teclado físico, unicamente o virtual – o que incluía um dicionário multi-idiomas e corretor ortográfico automático.
A APP Store, loja de apps formal do iPhone da Apple, já soma bilhões de downloads de arquivos a contar do seu lançamento. Os números, logo, falam por eles. Talvez os aplicativos sejam os grandes atrativos para uma pessoa que está iniciando o contato com o aparelho. Existem programas para as mais diversas atribuições que você possa imaginar. São jogos, editores de imagem, mensageiros instantâneos, social medias, editores de textos, planilhas e apresentações, players de mídia, navegadores em GPS, além de aplicativos de empresas, canais de tv e rádio, jornais entre outros.
Alguns são pagos, outros gratuitos, entretanto todos de muito fácil acesso. Bastando apenas conectar-se a App Store pelo seu smartphone ou então pelo pc e, então, fazer a transferência mediante USB. O caso de o iPhone produzir, rodar e dividir arquivos de texto, planilhas, slides e vídeos em muitos formatos é um dos seus principais atrativos. A incorporação com o iTunes, serviço de obtenção de canções, filmes e livros da Apple, facilita muito. O smartphone é um autêntico combo de utilidades, com tudo sempre ao alcance de um toque.
Outro detalhe marcante do dispositivo comparando-se com todos os demais smartphones é o seu sistema operacional, o iOS. Criado pela Apple exclusivamente para ele, inteiramente baseado na interface sensível ao toque, além de utilizar e exagerar de procedimentos como o acelerômetro. Graças ao seu êxito, o sistema começou a ser incluído em outros dispositivos da empresa, como o iPod touch e o iPad.
Anualmente, tal como o iPhone, o iOS é atualizado e vai tornando-se cada vez melhor e mais seguro. Ele torna a navegação simples, intuitiva, e descomplica a configuração do equipamento.
Ao contrário de seu principal oponente, o Android, o iOS não é um sistema operacional bastante personalizável. Ele é bem tradicional, e mantém seus princípios e propriedades sem que se possa mudar muita coisa. Mesmo assim, suas especificações técnicas são muito interessantes. Na versão mais recente, por exemplo, é possível editar fotografias da câmera, tal como é possível fazer o multitasking, que permite utilizar inúmeros apps conjuntamente.
Do primeiro iPhone anunciado até o atual modelo X, muita coisa foi alterada. Do mais moderno a um dos primeiros modelos, veja o que o Iphone pode lhe ofertar:

iPhone X

iphone-x O Apple geração X é um Smartphone iOS com propriedades inovadoras que o fazem uma excelente alternativa para qualquer tipo de utilização. A tela de 5. 8 polegadas coloca esse aparelho no topo de sua categoria. A resolução também é alta: 2436×1125 pixel. As funcionalidades ofertadas pelo novo dispositivo são diversas e top de linha. Principiando pelo LTE 4G que permite a transferência de dados e formidável navegação na internet, além de conectividade Wi-fi e GPS instalado no dispositivo.
Possui inclusive leitor multimídia, videoconferência, e bluetooth. Cabe enfatizar a sensacional memória interna de 256 GB, mas sem a possibilidade de expansão. Câmera de 12 megapixels. A espessura de unicamente 7. 7 mm torna o aparelho um dos telefones mais finos existentes.
O maior destaque desse Celular é, certamente, o seu novo desenho. Desde 2014, a Apple não lança um iPhone com alterações relevantes na aparência, contudo o modelo do ano de 2017 chega para acabar de uma vez por todas com este hiato. O aparelho conta com um corpo aproximadamente todo construído em vidro e, inclusive, preserva uma moldura metálica. Fora isso, a parte da frente do celular é praticamente toda tomada pelo display OLED de 5, 8” (2436×1125 e 458 ppi), cantos arredondados e um corte típico na parte superior para abrigar a câmera frontal e alguns sensores.

Término do botão home

Este celular também é o primeiro da linha a não contar com um botão home físico/capacitivo. Isso pois o display ampliou e excluiu quase que integralmente as pontas superior e inferior. Em vez do Touch ID, agora possuímos o Face ID para assegurar a proteção dos utilizadores. Ele identifica detalhes do rosto do utilizador, com uma sucessão de sensores, o que integra a câmera frontal e uma câmera infravermelha para profundidade.
Consoante a Apple, não é possível enganar o sistema utilizando fotografias ou mesmo máscaras feitas com as melhores tecnologias usadas em Hollywood. O sistema inclusive utiliza conhecimento de máquina para que, com o transcorrer do tempo, o Face ID se adeque às modificações no seu rosto. Ou melhor, não importa o estilo de cabelo, barba ou óculos que você tenha, não vai ser necessário recadastrar a biometria. Essa novidade também é utilizada para o Apple Pay.
A Apple não revela, contudo parece que a empresa – tal como a Samsung – não conseguiu adaptar o sensor de digitais diretamente na tela como era hipoteticamente planejado.
Além do mais, a Apple precisou personalizar o iOS 11 especialmente para esse dispositivo. Para retornar à tela inicial do dispositivo, por exemplo, é preciso realizar um movimento no display de baixo para cima. Com o intuito de fazer multitarefa, você interrompe o deslocamento no meio do trajeto.
O X é um dos primeiros equipamentos da marca a ter carregamento sem fio. Acredita-se que foi por conta disto que a fabricante decidiu retornar para o vidro na tampa traseira, visto que os padrões mais tradicionais de carregamento wireless não funcionam através de ligas metálicas.

Câmeras

O celular da geração X ainda conta com diversos recursos inéditos de câmera muito promissores, porém apenas poderemos dizer se o novo equipamento possui peso para competir com Galaxy Note 8 e Google Pixel quando as primeiras amostras de captura de imagem começarem a aparecer na Internet.
De qualquer forma, o celular tem um dispositivo duplo de câmeras, cada um com 12 MP (f/1. 8 + f/2. 4) e ambas com estabilização óptica. No novo iPhone, entretanto, elas são usadas para fins diversas. Há inúmeras opções de efeitos de iluminação, e eles podem ser usados em tempo real, à medida que você faz o enquadramento das imagens. A Apple relaciona esses recursos com situações de luminosidade profissionais.
De fato, são efeitos notáveis, principalmente aquele que escurece completamente o entorno do utilizador, deixando só seu rosto em relevância. É relevante notar, inclusive, que boa parcela desses efeitos estarão disponíveis para a câmera de selfies ainda, que será auxiliada pelo sensor infravermelho que detecta profundidade.
Existe a possibilidade de capturar vídeo em 4K e rodar esse conteúdo na tela HDR do equipamento, que ainda conta com som estéreo aprimorado comparando com a edição antecedente do celular.

Realidade expandida

Outro aspecto importante do novo modelo é o iOS 11 com suas competências para realidade aumentada. A Apple lançou no meio deste ano o ARKit, uma plataforma básica para desenvolvedores construírem APPs nesse sistema e, já no lançamento, há a possibilidade usar uma sucessão de recursos consideráveis.

iPhone 8

iphone-8 O caso de a Apple ter anunciado tanto os iPhones 8 e 8 Plus quanto o X no mesmo dia fez bastante gente decretar prematuramente que os modelos mais básicos já tinham nascido mortos. Porém, basta pararmos para ponderar os valores de cada versão aqui em território brasileiro para ficar complicado não hesitar e pensar se não vale mais a pena adquirir um dos smartphones mais baratos mesmo. O Iphone 8 é totalmente feito de vidro, o que possibilita a tecnologia de recarga de bateria sem fios. E acompanha um novo sensor na câmera traseira, que segue de 12 Megapixels. Mas agora é capaz de capturar 83% mais luz, consoante a Apple. O iPhone 8 ainda é otimizado de indústria para funcionar com realidade aumentada.

 

    • Display: Retina HIGH DEFINITION de 4, 7 e 5, 5 polegadas, respectivamente, com tecnologia True Tone, que encaixa o balanço de cores de acordo com a luminosidade do lugar

 

    • Câmera traseira: 12 Megapixels, com sensor capaz de capturar oitenta e três por cento mais luz e novo recurso de câmera lenta a 240 quadros por segundo

 

    • Processador: A11 Bionic de 6 núcleos, dois de desempenho 25% mais rápidos e 4 de eficiência setenta por cento mais rápidos

 

    • Colorações: “space gray” (cinza), “silver” (prata) e “gold” (dourada)

 

    • Alternativas de armazenamento interno: 64 GB e 256 GB

 

 

8 Plus

O iPhone 8 Plus teve lançamento mundial realizado pela Apple junto com o iPhone 8 e o iPhone X. No comunicado, a fabricante exibiu um celular com especificações que estabeleceram sucesso no iPhone 7 Plus, como a câmera dupla de 12 megapixels e a tela de 5, 5 polegadas. Além disso, o layout vai ter cantos arredondados, modificado só pela inclusão do revestimento de vidro na parte traseira.
O celular roda iOS 11 e está acessível em versões com 64 GB e 256 GB de armazenagem. Possui a mesma tecnologia do Iphone 8.

iPhone 7

Resultado de imagem para iphone 7Esse aparelho foi anunciado com ficha técnica poderosa e novidades no desenho, o smartphone é um dos mais desejados por todos os brasileiros, sejam antigos fãs da marca ou iniciantes no universo da maçã. No Brasil, é possível achar a versão mais básica, com tela de 4, 7 polegadas, e o modelo 7 Plus, com display de 5, 5 polegadas.
Este Smartphone é o que conta com a tela menor, com quatro, 7 polegadas e resolução Retina HD. Em números, temos 1334 x 750 pixels, totalizando uma densidade de 326 pixels por polegada. Vale lembrar que essa medida se refere a quantidade de pontos luminosos em cada polegada. Quanto mais, melhor. Ao mesmo tempo, especialistas afirmam que telas com ppi acima de 300 já possuem excelente qualidade.
O painel empregado é um LCD IPS retroiluminado por LED. Na prática, temos um display com colorações mais próximas à realidade, com um amplo campo de visão – ou melhor, o utilizador consegue olhar bem as imagens em vários ângulos.
O iPhone 7 e o 7 Plus têm as mesmas alternativas de capacidade de armazenagem: 32 GB, 128 GB e 256 GB. A Apple decidiu rejeitar os modelos com 16 GB e 64 GB. Porém, o usuário deverá levar em consideração que o próprio sistema operacional ainda ocupa uma fatia deste espaço.
O iOS 10 ocupa, em média, de 4 GB a 5 GB. Dessa forma, um iPhone 7 de 32 GB teria “só” 28 GB livres para o usuário guardar o que ele quiser. Vale lembrar que iPhones não têm memória expansível mediante cartão microSD.
Um detalhe imprescindível: este aparelho acessível na coloração preto brilhante (denominado de Jet Black) é comercializado com memória interna de 128 GB ou 256 GB. Sim, foi uma forma que a Apple arrumou de ganhar mais grana dos clientes entusiasmados no novo acabamento do smartphone.
Outro aspecto primordial: há na internet diversos relatos de compradores – inclusive em território brasileiro – cujos iPhones novos passaram a descascar com o decorrer do tempo. A própria Apple já avisou que a pintura é capaz de passar por uma degradação. É algo para ficar esperto.
A Apple não informa a amperagem da bateria, entretanto sites qualificados já fizeram o cálculo. Entretanto esse celular tem capacidade de 1. 960 mAh. De acordo com a fabricante, o resultado é uma independência de até duas horas a mais, se contrastado com o iPhone 6S.
A Apple oferece cinco opções de colorações para os clientes dos iPhones 7 e 7 Plus. São elas: ouro rosa, dourado, prateado, matte e Jet Black. A disparidade entre os dois tons de escuro é que o primeiro é mais fosco, à medida que o outro é reluzente (e por causa disso mesmo, fica cheio de marcas de dedo).

sete Plus

O iPhone 7 Plus conta com tela de 5, 5 polegadas. A resolução inclusive amplia, chegando a Full HD (1920 x 1080 pixels), totalizando 401 ppi. O painel usado ainda é um LCD IPS retroiluminado por LED. Ainda por cima, os dois possuem revestimento firme a marcas de dedo e oleosidade. Em comparação com o seu principal rival, o Galaxy S7, vemos que a tela do iPhone 7 Plus é maior, porém com menor resolução. O S7 conta com tela de 5, 1 polegadas com resolução de 2560 x 1440 pixes, totalizando uma densidade de 577 ppi. A partir destas informações, o S7 deve conceder imagens mais definidas.
A câmera de trás deste dispositivo conta com sensor com doze megapixels de resolução, tal como o iPhone 7 Plus. A diferença é que a versão com tela maior tem câmera traseira dupla, uma com lente grande-angular e abertura de lente f/1. 8, e a outra com lente teleobjetiva com abertura f/2. 8. Isso permite que o modelo Plus tenha um zoom ocular de 2x e um zoom digital de 10x, bem maior do que a grande parte dos celulares proporciona.
Esse aparelho, por sua vez, possui uma bateria de 2. 900 mAh, o que denota 1 hora a mais de independência com relação ao iPhone 6S Plus. De acordo com a Apple, o celular suporta até TREZE horas de uso da rede móvel (3G/4G), quatorze horas de exibição de vídeos e sessenta horas de exibição de músicas.

IPhone SE

iphone-SE O iPhone SE é um dispositivo que regressa às origens ao mostrar uma tela de tamanho reduzido – só 4 polegadas – ao contrário do exibido pelos modelos predecessores que tinham – 4, 7 polegadas e 5, 5 polegadas.
Esse iphone veio para aposentar terminantemente o iPhone 5c, um equipamento que não fez o sucesso que a companhia realmente esperava. Além do mais, esse equipamento inclusive chegou para atender ao apelo daqueles que queriam um modelo com tela reduzida.

Especificações técnicas do padrão SE

 

 

    • Sistema operacional: iOS 9. 3

 

    • Tamanho da tela: 4 polegadas

 

    • Resolução da tela: 1136×640 pixels

 

    • Densidade de pixels: 326 ppi

 

    • Chipset: Apple A9

 

    • CPU: Dual-core de 1, 84 GHz

 

    • GPU: PowerVR GT7600

 

    • Memória RAM: dois GB

 

    • Armazenamento interno: 16 GB ou 64 GB

 

    • Câmera de trás: 12 MP

 

    • Câmera frontal: 1, 2 MP

 

    • Bateria: 1. 642 mAh

 

    • Sensores: sensor de impressões digitais, acelerômetro, giroscópio, proximidade e compasso

 

    • Conectividade: WiFi 802. 11 a/b/g/n/ac, hotspot, Bluetooth 4. 2, GPS (A-GPS e GLONASS) e NFC (para o Apple Pay)

 

    • Estatura: 123, 8 milímetros

 

    • Largura: 58, 6 mm

 

    • Espessura: 7, 6 milímetros

 

    • Peso: 113 gramas

 

 

iPhone 6

iphone-6 A oitava geração do iPhone foi a primeira a ter 2 modelos com vários tamanhos de tela. À medida que o iPhone 6 possui a agora tradicional tela de 4, 7 polegadas, a versão Plus tem a missão de concorrer com os chamados phablets e tem 5, 5 polegadas.
Ainda por cima, a resolução de ambos os dispositivos inclusive é diferenciado entre si: ao passo que a versão tradicional possui resolução de 1. 334 x 750 pixels, a edição Plus tem resolução de 1. 920 x 1. 080 pixels. As divergências, contudo, não param por aí e integram particularidades como o tipo de estabilização de imagem presente na câmera de cada gadget: digital no seis e óptica no 6 Plus.
A duração da bateria da edição Plus ainda é superior, terminando aí as diferenças entre ambos. Tecnicamente, eles apresentam os mesmos recursos, como processador ARMv8-A Cyclone dual-core de 1, 4 GHz, 1 GB de memória RAM e iOS 8. 0. Fisicamente, a oitava geração traz novos detalhes nas pontas, ganhando feições arredondadas.
O Apple iPhone 6 Plus é um celular iOS de bom nível, ótimo para fotografias, que consegue saciar até o mais rigoroso dos usuários. Tem uma grande tela Touchscreen de 5. 5 polegadas com uma excelente resolução de 1920×1080 pixels. Não falta nada nesse dispositivo. Principiando pelo LTE 4G que possibilita a transferência de dados e excepcional navegação na internet, além de conectividade Wi-fi e GPS. Possui ainda leitor multimídia, videoconferência e bluetooth. Salientamos a ótima memória interna de 128 GB, mas sem a possibilidade de expansão.
Maravilhosa a câmera de oito megapixels que permite ao iPhone capturar fotografias com uma resolução de 3264×2448 pixels e gravar vídeos em high definition (Full HD) com uma resolução de 1920×1080 pixels. Bastante fino, 7. 1 milímetros, o que torna o Apple iPhone 6 Plus verdadeiramente interessante.

Modelo 6s

O iPhone 6s tem como ênfase a instalação do recurso 3D Touch, funcionalidade que calcula a força da pressão utilizada pelo dedo na tela e possibilita muitas utilidades típicas como o uso de muitos atalhos. O novo dispositivo da Apple ainda introduziu uma nova cor à família, o Rose Gold (Rosa Dourado), e, também, tem o novo chip Apple A9 com coprocessador M9 integrado, câmera otimizada de doze megapixels e suporte à gravação de vídeos em 4K.
Lançados com 1 ano de diferença (o 6 no ano de 2014 e o 6S no ano de 2015), são dispositivos aproximadamente idênticos visualmente (pequenos detalhes de diferença), porém diferenças grandes em performance e melhorias de rendimento e funções.
O iPhone 6S instaurou no mercado o chamado Force Touch que reconhece variados tipos de toques (pressão) na tela do dispositivo e desta forma ativar funções diversas, inexistente no modelo 6.
O iPhone 6 acompanha processador A8 com 1GB de memória RAM à medida que o 6S possui o A9 com 2GB de memória RAM. De acordo com a Apple, o iPhone 6S é 2 vezes mais veloz que seu antecedente.
Uma das grandes melhorias vieram nas câmeras. O 6 tem câmera frontal de 2MP e câmera traseira de 8MP, já o 6S possui câmera frontal de 5MP e câmera traseira de doze megapixels, um salto bastante grande na qualidade.
Ambos possuem tela de 4, 7 com 1. 334 x 750 pixels de resolução e são capazes de ser achados com 16GB, 64GB e 128GB, nas colorações cinza espacial, prateado e dourado, com exceção do iPhone 6S que ainda possui a coloração Rosa Dourado.
Funcionam com chip Nano Chip, com conectividade 4G e possui entrada de cabos de dados do tipo lightning. Atualizam para iOS dez dando acesso a milhares de apps disponíveis na App Store e no iTunes.

6S Plus

O iPhone 6S Plus é o top de linha da Apple com Tela Retina ALTA DEFINIÇÃO de 5, 5 polegadas lançado em setembro do ano de 2015. O celular foi apresentado junto com o iPhone 6S e é comercializado nas cores prateado, dourado, ouro rosa e cinza espacial. Entre as novidades, encontra-se a tecnologia 3D Touch, capaz de detectar os níveis de força usados pelo usuário no display.

O leitor biométrico Touch ID chegou à segunda geração capaz de reconhecer os dedos do dono e desbloquear o smartphone com mais rapidez. A câmera principal grava vídeos em 4K e possui doze megapixels, um acréscimo em relação aos 8 MP presentes na câmera do iPhone 6 Plus. Já a câmera frontal tem cinco megapixels, conforme a ficha técnica oferecida pela fabricante.

iPhone 5

iphone-5 O iPhone cinco exibiu novos detalhes físicos os quais o distinguiam de seus predecessores imediatos, como tela maior (de quatro polegadas ), novo posicionamento da câmera frontal e ainda bordas que acompanhavam a coloração principal do aparelho.
Com processador dual-core de 1, 3 GHz, ele apresentava três modelos diferentes, com as mesmas capacidades do seu antecedente. Os iPhones de 16 GB, 32 GB e 64 GB eram vendidos por US$ 199, US$ 299 e US$ 399, respectivamente (com contrato). Pela primeira vez, a câmera frontal podia capturar vídeos em HD (720p) e fotos de até 1, 2 megapixels.
A câmera de trás mantinha basicamente as mesmas qualidades do iPhone 4, com sensor de oito megapixels e capacidade de registro de vídeos em Full HD a 1080p. Nos seus três primeiros dias de lançamento, o iPhone 5 vendeu mais de 5 milhões de unidades. O gadget foi descontinuado no mês de setembro de 2013.

Versão 5s

O iPhone 5s foi o primeiro smartphone da Apple que estabeleceu o leitor de digitais Touch ID. Ele conservou quase a mesma carcaça com quatro polegadas de tela do iPhone 5, otimizando o processador que passou a trabalhar em 64 bit com o chip Apple A7 Cyclone.
O modelo 5s é semelhante anatomicamente ao seu antecessor, no entanto marca a estreia de um novo botão Home e mostra edições com novas colorações e novos detalhes nas bordas.

O intermediário 5c

Lançado junto com o iPhone 5s, o 5c é a primeira entrada da Apple no mercado intermediário de celulares. Fundamentalmente, o aparelho era uma atualização do iPhone 5. Além de tudo, ele exibia um novo padrão de colorações, com cinco alternativas diferentes: branco, verde, azul, rosa e amarelo.
O iPhone 5c tinha modelos de 8, 16 e 32 GB para armazenamento e vinha com 1 GB de memória RAM. Sua tela era do mesmo tamanho do display do 5s, quatro polegadas, e, também, com a mesma resolução, 640 x 1. 136 pixels. O processador que dá vida ao gadget era um Apple Cyclone dual-core de 1, 3 GHz de 64-bits.
O Apple iPhone 5c é um celular iOS de bom nível, perfeito para fotos, o qual pode satisfazer até o mais meticuloso dos usuários. A tela Touchscreen de 4 polegadas e a resolução de 1136×640 pixels é inferior aos concorrentes diretos, entretanto este não é o seu ponto forte.
Com relação às qualidades desse Apple iPhone 5c, na verdade, não falta nada. Começando pelo LTE 4G que possibilita a transferência de dados e espetacular navegação na web, além de conectividade Wireless e GPS. Conta com também leitor multimídia, videoconferência, bluetooth, mas não conta com memória expansível. Maravilhosa a câmera de 8 megapixels que permite ao Apple iPhone 5C tirar fotos com uma resolução de 3264×2448 pixels e gravar vídeos em high definition (Full HD) com uma resolução de 1920×1080 pixels. Bastante fino, nove mm, o que torna o Apple iPhone 5C realmente interessante.

iPhone 4

iphone-4 Anunciado em 7 de junho de 2010, o iPhone 4 marcou época por mostrar a primeira excepcional renovação visual do gadget. Passava a apresentar extremidades e traseira retas no lugar de laterais curvas e traseira abaulada, como tinha sido até este momento.
Vindo de indústria com o iOS 4. 0, o dispositivo instaurava também a presença de uma câmera frontal e do FaceTime no iPhone. Com tela de 3, 5 polegadas, pela primeira vez o smartphone da Apple exibia uma resolução maior: 960 x 640 pixels. Além disto, a densidade de pixels da chamada Retina Display também era maior, 326 ppi.
O lançamento trazia duas edições: uma de 16 GB e outra de 32 GB. Sem contrato com a operadora, elas eram vendidas por US$ 599 e US$ 699, respectivamente. O iPhone 4 embarcava 512 MB de memória RAM e um processador ARM Cortex-A8, tendo sido interrompido em setembro do ano de 2013.

A inovação do 4s

Lançado no dia 14 do mês de outubro do ano de 2011 em 7 nações, o iPhone 4S é a quinta geração do smartphone da Apple. Ele vinha equipado com a quinta versão do iOS e com um processador ARM Cortex-A9 dual-core de 1 GHz, além de 512 MB de memória RAM. A tela conservava as mesmas características do seu antecessor.
Ao passo que a câmera frontal era igual ao do modelo precedente, a câmera de trás ganhava um aumento de capacidade e era capaz de capturar fotografias de até oito megapixels. Além de tudo, vinha com um sensor capaz de registrar vídeos em Full HIGH DEFINITION (1080p).
O iPhone vinha em três modelos distintos, de 16 GB, 32 GB e, pela primeira vez, 64 GB de capacidade interna para armazenamento. Seus preços originais eram US$ 199, US$ 299 e US$ 399, respectivamente. Fisicamente, ele mostrava quase nenhuma mudança com relação ao iPhone 4 e mantinha os modelos preto ou branco. Foi descontinuado no mês de setembro do ano de 2014.

Dez coisas que você não sabe que seu iPhone pode fazer

 

 

    1. Criar um código de acesso com letras, ao invés de apenas números

 

Vá em Configurações; Geral; Código de Acesso
Desative a configuração denominada “Código de acesso simples”
Uma tela vai despontar pedindo a fim de que você modifique o seu código de acesso, com um teclado QWERTY completo.
Na próxima vez que você desbloquear seu celular, o teclado vai despontar, ao invés de apenas o teclado numérico.

 

    1. O Siri consegue ler os seus e-mails em voz alta ( só para mensagens em inglês )

 

Fale ao Siri “read my email” e ele vai obedecer. Você vai escutar o nome do remetente, a data/hora da mensagem e o teor da mensagem. Você inclusive pode instruir “read my latest email” ou perguntar “Do I have email from [person]?”

 

    1. Ver a hora e a data em que uma mensagem foi enviada

 

Só deslize os balões com as iMessages e vai aparecer o indicador com o momento e o dia que a mensagem foi enviada.

 

    1. Saber quais aviões encontram-se por cima de sua cabeça

 

Pergunte ao Siri “What flights are above me? ” ou somente diga “planes overhead” e ele mostrará um quadro com todos os aviões e os números dos voos, com suas altitudes e ângulos.

 

    1. Balance o seu dispositivo para apagar um texto

 

Você mudou de ideia a respeito do que acabou de teclar? Balance o celular e uma caixa de “desfazer a digitação” vai aparecer. Caso você mude de ideia logo após apertar em desfazer, pode balançar o celular outra vez e verá a caixa para “refazer a digitação”.

 

    1. Veja tranquilamente uma versão mais detalhada do calendário

 

Vire o seu celular para o modo horizontal no momento que estiver no aplicativo do calendário, para olhar uma versão mais aprimorada dos compromissos.

 

    1. Use o seu iPhone como um nivelador

 

Deslize o aplicativo da bússola para a esquerda e você possuirá acesso a um nivelador.

 

    1. Tire um conjunto de fotografias de uma vez

 

Manter pressionado o botão de disparador da câmera, automaticamente você ativa a função que tira diversas fotografias de uma única vez.

 

    1. Adicione trepidações personalizadas

 

No app de contatos, você pode ativar diferentes padrões de vibração para diferentes contatos. Isto é bom para quem mantém o celular no bolso, então você será capaz de diferenciar – sem utilizar as mãos – entre uma mensagem de texto ou um e-mail do seu supervisor.

 

    1. Coloque o telefone no modo avião e ele vai carregar duas vezes mais rápido

 

Essa é a solução para quem precisa carregar o celular depressa em um bar

Como achar seu iPhone, mesmo desligado

O aplicativo Last Alert Pro chegou na atualidade ao iTunes com uma finalidade bastante útil: achar seu dispositivo mesmo quando ele não tiver carga. Se você perde o celular a cada 10 min e jamais sabe como achá-lo, esse APP pode ser uma boa alternativa para você.
O Last Alert Pro sai a US$ 1, 99 e possui 3 funções demasiadamente interessantes: a primeira é a de notificações sonoras. Conforme o coeficiente de bateria do iPhone cai, o APP alerta com anúncios sonoros a fim de que você não esqueça de carregá-lo.
A outra funcionalidade é o alerta por correio eletrônico, no qual o app envia constantemente as coordenadas do GPS do seu iPhone mostrando em que lugar o smartphone “foi visto” pela última vez.
A última (e talvez mais impressionante) é o rastreamento por bússola. Se você possui um iPad e “perdeu” o seu iPhone, há a possibilidade usar o seu tablet a fim de identificar as coordenadas de GPS e, de maneira automática, botá-las na bússola do tablet. Além do lugar, esse recurso proporciona que você descubra o caminho a ser trilhado até encontrar o dispositivo. O único problema é que este recurso só opera para quem conta com 2 dispositivos com iOS.

Saiba como configurar o software no seu smartphone:

 

 

    • Passo 1. Acesse o link do aplicativo no iTunes e realize o download para o seu smartphone ou iPod Touch. O download não deve demorar muito, pois ele conta com só 8, 5 MB. Assegure-se, obviamente, de possuir U$ 1, 99 de crédito em sua conta;

 

    • Passo 2. O aplicativo, então, deve ser inicializado manualmente. Aperte no ícone do Last Alert para o software começar a rodar. Na tela inicial, você irá ver o ícone do app e três alternativas num menu na parte inferior;

 

    • Passo três. Clique em “My Settings” a fim de configurar o app. O usuário pode escolher entre “Set Alert” 1, 2 e 3, para ser avisado quando a bateria estiver baixa e eleger os sons para discernir esses alertas;

 

    • Passo 4. Logo abaixo, em “Email GPS Location”, ainda há três opções. Você não necessita utilizar todas. Esta função inclui os endereços de correio eletrônico para os quais deseja que a localização de seu celular seja enviada quando a bateria estiver acabando;

 

    • Passo 5. Depois teclar todos esses detalhes, vá até “Track Device” e clique em “Test Tracking” a fim de testar o rastreamento de seu aparelho. Caso tudo dê certo, você será redirecionado para uma nova janela com a última posição do seu telefone;

 

    • Passo seis. Nesta tela de rastreio há 6 informações acerca de seu celular: longitude, latitude e altitude de sua localização; data e hora em que ele foi visto pela última vez; e o coeficiente de bateria. Logo abaixo você possui duas opções: “Find on Map”, para usar o serviço de mapas do seu aparelho móvel; e, ainda, o “Track it”, para saber o trajeto até chegar ao Smartphone.

 

Uma vez verificado e configurado, seu app já vai estar pronto para as emergências. Seja em condições de distração, descuido ou inclusive para roubos e furtos, com este aplicativo você descobrirá exatamente em que lugar encontrá-lo.

Como fazer downloads de vídeos do YouTube no iPhone e iPad, usando o Workflow

É habitual muitas pessoas questionarem se há algum software na APP Store capaz de baixar vídeos do YouTube diretamente pelo iPhone ou iPad. Melhor do que um software, há uma receita Workflow que permite baixar qualquer vídeo diretamente pelo Safari ou pelo APP oficial.
Saiba como fazer:
O Workflow é uma considerável ferramenta que possibilita a criação de tarefas automáticas no iOS. Ele foi atualmente adquirido pela Apple e é bem possível que seja introduzido no sistema em um futuro próximo.
Com ele você consegue automatizar várias coisas, como redimensionar uma imagem, gerar um GIF satisfeito e bem mais. E pode, ainda, automatizar comandos que permitam baixar vídeos do YouTube.
Antes de qualquer coisa, você necessita instalar o app Workflow nos seus Smartphones.
Com o APP instalado, você necessita, agora, baixar o fluxo de trabalho para executar as tarefas que fazem downloads de vídeos.
Para baixar todo tipo de vídeo no YouTube, siga essas outras etapas:

 

    • Passo 1: Abra o vídeo desejado no Safari ou então no aplicativo próprio do YouTube.

 

    • Passo 2: Toque no botão de compartilhamento e escolha Run Workflow.

 

Note que, caso você esteja no aplicativo do Youtube (não no Safari) vai ter que apertar num botão a mais para conseguir acesso ao Run Workflow.
A partir daí o script é automático, realizando todo o procedimento e salvando diretamente o vídeo na sua fototeca.
Tudo é extremamente veloz e fácil, de uma forma que você irá se perguntar por que isto não é uma atividade nativa do sistema.
Essa é uma das maravilhas que são capazes de ser feitas com o Workflow.

A bateria do seu celular pode ficar viciada caso fique ligada na tomada por muito tempo? Efetuar uma carga completa eleva o aproveitamento da bateria do celular? Na ocasião em que o celular esquenta é por que existe risco da bateria pegar fogo? Observe uma lista com as essenciais sugestões e os mitos com relação à bateria de celulares e iPhones Aprenda a conservar a bateria do seu celular e constate o que não se tem que fazer com ela.

Cargas totais aumentam a durabilidade das baterias dos celulares


Esta é uma sugestão com fundamento, sem nenhum receio. Se você puder usar o celular até a bateria acabar e realizar uma carga total em seguida, o dispositivo pode durar mais. Entendemos que na maioria dos casos não é possível realizar isto, contudo em se tratando dos Smartphones com tela touch, que gastam muita carga, é prudente realizar uma carga total no mínimo a cada mês.
A bateria rende mais, porque ela pode ser feita de substâncias como Lítio-Polímero, Íon-Lítio, Níquel-Híbrido e Níquel-Cádmio. Pequenas cargas debilitam a eficácia do componente. Já as grandes cargas preservam o estágio de desempenho.

Guarde a bateria do celular desconectando caso não tenha sinal


bateria-celular Não trata-se de uma lenda, contudo sim uma sugestão preciosa. Em território brasileiro, é comum as operadoras não operarem direito em determinados locais da cidade. Quando o Smartphone perde o sinal, ele gasta mais bateria tentando procurar o sinal.
Na prática, o que o equipamento faz é elevar o ganho de sinal internamente, buscando conseguir o mínimo de potência fundamental para restabelecer essa conexão. Com o crescimento do rendimento, aumenta o consumo da bateria e a temperatura de dentro do equipamento.
Uma maneira de evitar este desperdício de energia desnecessária é, meramente, desativar o aparelho. O mesmo método vale se você quer apenas acessar a internet e o 3G não encontra-se funcionando, ou não existe sinal Wi-Fi disponível. Caso o celular esteja encontrando uma conexão Wireless e não puder conectar, ele gastará mais bateria encontrando sinais mais distantes.
No caso do 3G, ele irá poder até permanecer conectado, mas, se o sinal estiver ruim, a qualidade da conexão estará comprometida. Não vale a pena o gasto e o dano que isto pode causar à bateria. Conservar a conexão Bluetooth ligada também é outro equívoco. Caso não esteja usando, desligue.

Cuidado com a condição da bateria do Smartphone


Pôr a bateria do celular em áreas quentes é uma inverdade e não é discutido corretamente. Normalmente, as pessoas acreditam que o aparelho é capaz de detonar se inserido em uma temperatura mais elevada.
Isto não é completamente inverdade, contudo muitas baterias de Lítio-Polímero foram feitas para não explodirem de maneira alguma. Mas mesmo com esse elemento peculiar, fatalidades são capazes de surgir.
Outra sugestão válida no caso de aquecimento de celulares é que nem sempre a bateria esquenta no momento em que só exposta aos raios solares. Um local que desgasta o componente é o bolso de sua roupa. Como ele se encontra em contato com seu corpo, a propensão é que o lugar tenha uma temperatura razoavelmente elevada, considerável para acarretar danos ao componente.

Evite utilizar as funções de câmera e vídeo do Smartphone


Essa é outra dica, e não um tabu sem embasamento. Você pode desconfiar dessa verdade enxergando as especificações de energia de cada um dos dispositivos. Um meio ligeiro de esquentar o dispositivo e a bateria, desgastando ambos, é ativar constantemente a câmera de fotografia ou assistir inúmeros vídeos do YouTube. As imagens em movimento reduzem o rendimento da bateria para aproximadamente um terço.
Um desgaste de energia nesse nível compromete a vida-útil de sua bateria. Portanto, somente veja vídeos se for verdadeiramente necessário. Caso você fique, por exemplo, tentando acessar o YouTube com uma conexão ruim, somente irá gastar energia.
A culpa disso, obviamente, é a quantidade excessiva de gasto de energia interior: a tela vai precisar ter potência para trocar todos os pixels rapidamente; o processador para conceder os dados; o modem para receber o sinal; e o canal de áudio para entregar tudo com qualidade. Isto é: você vai estar empregando quase todos os recursos do telefone ao mesmo tempo.

Vale a pena trocar as baterias dos celulares?


bateria-celular Esse é um tabu que não é tanto debatido. Inúmeras pessoas generalizariam a resposta dizendo que “vale a pena” ou que “não vale de forma nenhuma”. O adequado nesses casos é verificar o quanto será gasto para fazer a manutenção do Iphone. Dispositivos Android são mais simples de serem desmontados e seus elementos podem ser adquiridos individualmente. Equipamentos da Apple são mais dificultosos de serem desmontados e é sempre bom consultar uma revendedora com o intuito de se informar melhor.
Se o esquentamento da bateria comprometeu outros componentes, como a placa-mãe do dispositivo, provavelmente seja o momento de você trocar de celular. Nesses casos, não se trata somente de um problema de bateria, mas sim da inutilização do gadget. Em contrapartida, um baixo desempenho de bateria é capaz de ser tranquilamente resolvido com a troca dela, sem necessitar gastar mais obtendo um telefone novo.

Como selecionar um carregador móvel de bateria de celular


Todos os dias, as fabricantes oferecem baterias mais potentes em seus celulares. Certos modelos conseguem continuar ligados ao longo de vinte e duas horas em ligações ou 64 horas reproduzindo músicas. Por outro lado, o tempo de duração não é o bastante para vários usuários, que ficam sem poder usar o aparelho antes do dia terminar. A mais adequada solução é utilizar um carregador portátil a fim de garantir que o Smartphone persista ligado quando não houver tomadas por perto.
Apesar de possuir um visual sem diversas diferenças, o carregador móvel de bateria de celular conta com especificações primordiais que precisam ser levadas em conta pelo usuário. O primeiro ponto a ser analisado é a origem da bateria. Antes de adquirir o acessório, averígue se a embalagem tem o selo de autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O documento garante ao usuário que o produto possui os critérios de proteção, como resistência à temperatura e proteção contra sobrecarga e curto-circuito.
Logo depois, verifique a capacidade de carga, mensurada em miliampère-hora (mAh). Esta informação vai dizer o quanto da bateria do celular deverá ser carregada com o equipamento. O aconselhado é comprar um carregador com, no mínimo, a mesma capacidade do celular. Logo, o celular consegue retornar aos cem por cento mesmo se consumir uma carga inteira.
Se o carregador oferecer uma carga bem menor quanto à bateria do celular, não possuirá tanta funcionalidade. Apesar disto, uma capacidade elevada quer dizer mais recargas para o Smartphone. Por exemplo, um carregador portátil para um celular de 2.500 mAh deve ter, ao menos, 2.500 mAh para recarregar o equipamento por completo. Se o dispositivo tiver 5.000 mAh, vai conseguir completar duas recargas.

Verifique a intensidade das baterias dos celulares

Tal como a eficiência, a potência da bateria é mais um ponto importante. O celular apenas é carregado caso a corrente elétrica que sai da bateria seja similar ou superior à intensidade do smartphone. O valor é revelado em Watts (W) e é capaz de ser calculado através da multiplicação dos valores em Volts (V) e ampères (A), que representam a potência de saída e entrada de energia, nesta ordem. As descrições geralmente estão indicadas na bateria, no carregador ou no manual do celular. Quanto maior a potência de carga, mais rápida é a recarga do equipamento.
A cada recarga, as baterias sofrem um gasto das substâncias químicas em seu interior. Deste modo, os carregadores têm uma quantidade limitada até que a bateria se esgote completamente. A medida empregada com o intuito de definir a vida aproveitável de uma bateria é a quantidade de recargas, inclusive chamada de ciclos.

Recarregue a bateria do celular apenas quando findar a energia


Com o intuito de evitar que o carregador manual tenha uma redução bastante grande do potencial da bateria, o melhor é recarregar o dispositivo só quando sua carga achar-se totalmente esgotada. Por conseguinte, o acessório não gasta ciclos em vão. Não há uma forma simples de verificar o total de energia que uma bateria ainda tem. Nesse caso, o mais aconselhado é comprar um carregador com um visor que expressa a carga que falta.